Clínica Ginecológica

Clínica Ginecológica

Atenção à paciente

Atendimento individualizado, com atenção à saúde observando o estado completo de bem-estar físico, mental e social.

As mulheres devem ser acompanhadas pelo ginecologista desde sua adolescência. Este acompanhamento não deve ocorrer somente quando apresentamos algum sintoma ou doença já diagnosticada e sim na atenção e atendimento preventivo.

A saúde é resultante da forma como se trata do corpo físico, psíquico e espiritual. Conforme a OMS (Órgão Mundial de Saúde), saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de enfermidades ou invalidez física ou mental.

“Segundo a pesquisa Expectativa da Mulher Brasileira Sobre Sua Vida Sexual e Reprodutiva: As Relações dos Ginecologistas e Obstetras Com Suas Pacientes, o resultado mostra que 20% das mulheres com mais de 16 anos correm o risco de ter um problema sem ao menos imaginar.

Foram entrevistadas 1.089 mulheres de 16 anos ou mais de todas as classes sociais, em todo o país.

Quando questionadas sobre qual especialidade médica é a mais importante para saúde da mulher, 68% citam a ginecologia, principalmente por mulheres que usam atendimento particular ou convênio.”

Fonte: Publicado em 12/02/2019
Por Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil São Paulo

Quando Consultar

Adolescente

O médico ginecologista deve ser procurado assim que iniciar seu ciclo menstrual, pois assim poderá entender como funciona seu corpo, o porquê destas mudanças e já ter seu ginecologista com quem discutir os cuidados relacionados ao seu futuro sexual.

Quando mais precoce e mais orientada, melhores resultados teremos.

Caso ela tenha em torno dos 16 anos e ainda não tenha menstruado deve também procurar entendimento do que está ocorrendo.

Existem alterações que muitas vezes precisam ser avaliadas e acompanhadas nestes casos.

A avaliação com o ginecologista deve ser realizada no mínimo uma vez ao ano.

Adulta Jovem

A fase adulta jovem compreende um período da vida que vai aproximadamente dos vinte aos quarenta anos de idade.

Estas definições vêm apresentando modificações devido às características de nosso tempo. Mulheres com hábitos de saúde adequados como: exercícios físicos, boa alimentação, revisão periódica de saúde acabam por se manter nesta fase por um período mais longo.

Esta é a fase em que as revisões no ginecologista são muito importantes para avaliar e orientar sobre a saúde dos órgãos genitais/reprodutores da mulher.

A revisão ginecológica deve ser realizada pelo menos uma vez ao ano, ou sempre que necessário caso ocorra alguma intercorrência ginecológica como: alteração no fluxo menstrual; corrimentos vaginais com prurido, mau odor; dor em baixo ventre; gestação; aumento do volume do baixo ventre, alterações ou sintomas urinários; nódulos na mama...

Deverá ser realizado exame físico da região ginecológica, mamas, medida da pressão arterial e solicitar exames de prevenção de colo uterino, de mamas e de sangue conforme o caso.

Observar queixas de alteração do fluxo menstrual, observar desconfortos de dores na menstruação, dores na relação sexual. Esta é a fase que realizamos com maior frequência o diagnóstico de endometriose. Doença que pode provocar dismenorreia (dor no período menstrual), dispareunia (dor na relação sexual), alterações do fluxo menstrual e infertilidade (dificuldades de gravidez espontânea).

O ginecologista deverá orientar cuidados com as doenças sexualmente transmissíveis, avaliar a mais adequada forma de anticoncepção. Orientar e preparar para engravidar, orientar sobre reserva dos óvulos caso a gestação seja uma ideia para após os 35 anos.

Orientar que apesar de nos mantermos cada vez melhor fisicamente a idade modifica a função ovariana e esta perda da capacidade do ovário de produzir óvulos e hormônios vai ocorrer independente de estarmos nos sentindo jovens e cheias de vida.

A avaliação da mulher adulta jovem inclui o acompanhamento e instrução na sua plenitude.

Adulta Madura

A fase da adulta madura é dos quarenta anos em diante, media após os 45-50 anos.

Fase denominada e defendida em tese pela psicóloga e psicanalista Adriana May Mendonça.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), idoso é toda a pessoa com sessenta anos ou mais.

O reconhecimento do adulto maduro como um paciente que merece tratamento apropriado, sendo essa mais uma etapa vital e, inclusive, a mais longa e profícua do indivíduo.

Esta é a fase em que nos encontramos em período de grande transformação hormonal, pessoal, familiar.

É mais uma FASE, aquela que também chamamos de Climatério, Menopausa.

Climatério compreende um período que varia em média dos 40 aos 50 anos e a menopausa é quando ficamos 1 ano sem fluxo menstrual.

A mudança não é somente hormonal, é corporal, é no humor, no sono, fogachos (calorões) que podem ou não estar presentes, mudança na massa óssea, dores articulares, mudanças na textura da pele, das unhas.

Os recursos tecnológicos, médicos e farmacológicos propiciam um envelhecimento saudável.

E esta FASE deve ser acompanhada, orientada e tratada conforme a individualização de cada mulher.

Revisões anuais, semestrais devem ser realizadas para atender a todas as demandas desta FASE.

Cuidados com os exames de colo uterino, mama (período em que aumenta os casos de câncer de mama), avaliar a parte intestinal, cardiológica e tudo que está envolvido neste período.

Orientar sobre sexualidade*, utilização de métodos de proteção de DST (doenças sexualmente transmissíveis), vacinação, cuidados com o uso de bebida alcoólica, dieta, reposição de vitaminas e exercício físico.

“*A sexualidade do adulto maduro, como não poderia ser diferente, foi sempre considerado como tabu. Se em todas as fases do desenvolvimento humano isso se verifica, mais ainda para os idosos. A repressão da sexualidade no processo do envelhecimento é mais intensa por ser relacionada a preconceitos culturais. E essa população de idosos, como são classificados, preconceituosamente, as pessoas acima dos 60 anos, são hígidos, saudáveis, potentes e criativos!”

Fonte: Novos Paradigmas sobre a Sexualidade do Adulto Maduro, Adriana Mendonça.

A idade cronológica nos dias atuais tem sido muito discutida pois estamos em um processo em que mulheres com hábitos de saúde adequados como: exercícios físicos, boa alimentação, revisão periódica de saúde acabam por se manter com uma futura velhice saudável em todos os aspectos, com qualidade e tendências a longevidade, considerando fatores genéticos, étnicos e culturais.

O envelhecimento é um processo natural e inevitável, mas pode ser vivido em melhores ou piores condições.

Dra. Jaqueline Behrend Dra. Jaqueline Behrend

Blog da Jaque

Notícias Saiba Mais